Páginas

NUVENS DE SOLIDÃO

Desatei os nós
que me prendiam ao passado...

Ocupei os espaços perdidos
no vazio do meu coração...

Libertei-me da angústia do silêncio
e vi o dissipar cadenciado
das nuvens da solidão

Lancei ao espaço
todas as lembranças que ainda
restavam de ti e,
num ímpeto de fúria,
despachei a saudade...

Mas, de repente,
olhei ao redor...
recolhi os cacos da incerteza
e constatei, enfim,
que sou nada
sem você


P0165.2008.03
Copyright © 2008 by Magno R Almeida